terça-feira, 17 de março de 2009

Mas porquê?

Entretanto começam a aparecer os abutres. Estão sempre à espera de um tropeção para abrirem o bico.
Concorde ou não com as palavras do Sr. Gaspar Ramos, acho que o momento foi despropositado. Se esse senhor quer o bem do Benfica e se é uma pessoa influente, como já foi, dirija-se directamente ao LFV, ao Rui Costa ou até ao Shéu e fale com eles de modo civilizado. Ou então crie uma Comissão de Benfeitores e exponha as suas ideias. Claro que poderá ter ideias opostas às deles, mas poderá expô-las sem vir para os jornais ter protagonismo. Isso sim é servir o Benfica. Se não se dá com aquela gente e não está para se colocar ao lado do Clube, então remeta-se ao seu canto e ao seu passado e não se esqueça que quando era dirigente as coisas corriam de feição e posteriormente o Benfica andou pelas ruas da amargura.
Claro que esta direcção tem pontos fracos, claro que têm que apresentar resultados (ainda por cima em ano de eleições) e o tempo escasseia, mas não concordo com a oposição pelo simples facto de o ser. Por norma apontam sempre os defeitos dos outros, mas apresentar soluções, ajudar na resolução dos problemas ou na clarificação de ideias... está quieto, dá muito trabalho. Percebo que não queiram entregar o ouro ao pirata e como tal, este que se afunde sozinho que depois viremos "nós" para comandar o barco, mas meus senhores, ou participam na vida do Benfica para ajudar a Instituição ou então comprem muitas aulas de golfe e entretenham-se. Agora transformar possíveis guerras pessoais (digo eu) em questões do Benfica, isso não.
Ou então se quer ver alguém do seu social na presidência do SLB, avance com um nome. Se for do agrado dos Benfiquistas certamente que votarão nele, mas nessa altura faça campanha eleitoral e não campanha de oposição. São coisas distintas, portanto realce as mais valias, para o Clube, do nome avançado por si. Não faça comparações, suposições nem promessas. Apresente o seu projecto.
O Benfica já teve tantos dirigentes, uns com saídas mais airosas que outros e quantos é que aparecem na praça pública, com frequência, a pregar nas folhas de papel?
É contra isto que eu escrevo e não contra com quem quer que seja.

3 comentários:

am disse...

Completamente de acordo. Há muitos que se dizem benfiquistas mas que esperam, e desejam, as derrotas do Benfica para virem criticar tudo e todos. Colocam os seus interesses pessoias acima do interesse do glorioso.

Abraço amigo
..

Carlos Machado Acabado disse...

Outra declaração de concordância!
Nunca percebi, por exemplo, como benfiquista com mais de meio-século de militância (50 anos! Meu Deus! Como o tempo passa! Ainda "ontem" estava a ver jogar o Palmeiro e o Salvador e afinal já passaram mais de cinco décadas!...); mas, como dizia, nunca percebi muito bem o modo como os candidatos a eleições se disponibilizam para trazer para o Clube as mais rutilantes estrelas do futebol mundial (havia um que dizia que ia trazer o Cruyff!) mas, mal deixam de ganhar o escrutínio, voltam a meter imediatamente as ditas "maravilhas" no bolso e o Clube que se "lixe" e/ou se contente com o que tem, que a eles tudo isso deixa, de repente, de interessar!...
Colaborar desinteressadamente, por amor à Instituição?
Pôr os interesses desta (muuuuito!) à frente dos nossos?
Sentir os insucessos não como uma "oportunidade única de promoção e negócio" mas como uma dor que promoção ou negócio alguns podem minorar?
Pois...
Eu sou capaz de tolerar que adeptos reconhecidos de outros clubes venham, apresentando-se sem sofismas, trabalhar para o nosso.
Afinal de contas, o profissionalismo é isso mesmo.
Ninguém é capaz de me convencer que o Cardozo é "lampião" acendrado como eu ou que o pai do Suazo o queria fazer sócio do Glorioso em Tegucigalpa, mal ele nasceu.
Agora que alguém que se afirma benfiquista aproveite as dramáticas consequências de um erro colossal da actual gestão (a contratação de 'Quique' Flores) para vir (perdoem-me a expressão!) "chuchar" pela surra nos "ossinhos" da águia caída, acho absolutamente imperdoável.
No caso concreto de Gaspar Ramos, aliás, eu não consigo convencer-me a perdoar-lhe aquele que foi um outro erro clamoroso, à medida, aliás, do que atrás imputo a Vieira e Rui Costa: o equívoco Jardel que nos privou de um goleador de eleição e da possibilidade de termos escrito uma OUTRA História completamente diferente para o Benfica moderno!
Talvez valesse, por isso, no caso vertente, a pena o 'investimento' num pouco mais de prudência crítica e reserva argumentativa.
Isto dito com toda a frontalidade e franqueza!

Anónimo disse...

Não há mais escrúpulos em nossa sociedade- só uma imensa hipocrisia e uma vontade de ' aparecer' de alguns kromos ...

aguiaR................