quarta-feira, 1 de abril de 2009

Post Pinóquio

O post Pinóquio deste dia das mentiras foi o “Parceria à vista”, o qual relatava uma aproximação dos aldrabões ao Benfica. A imagem posterior (a d’El Aldrabon com a bandeira do Glorioso na mão) foi pura coincidência e tomo-a como verdadeira.
Em relação à comunicação social desportiva:
A Bola – Anunciou a candidatura de sousa de Sintra à presidência da horta.
Decor – Referiu que o Benfica e os hortaliceiros tinham chegado a acordo e a final da taça da liga iria ser repetida.
O Nojo – Para mim, aquilo é tudo mentira e especulação (mesmo não sendo dia das mentiras), portanto não encontrei… nenhuma verdade.

5 comentários:

Mimo Azul disse...

Queriam ele que se repeti-se! Não sei para quê... provavelmente voltariam a ficar sem ela!!!

Aqueles senhores que andam por aí numas bicecletas e com aqueles apitos/assobios tão caracteristicos?! Há tanto tempo que não oiço nenhum :(

bjcaaaaaaaaaaa

Carlos Machado Acabado disse...

"Olhó" Pinóquio!...
Tão giro, tão "Moderno"!...
Até parece um Engenheiro, não é?...
Com uma expressão de inteligência e um 'look' destes fazia seguramente um vistão, lá na minha rua, em Alcochete: aquilo é um "freeport" para malta "gira" e "desempoeirada" como ele...
Olá se é!...

Carlos Machado Acabado disse...

Desculpem lá!
Eu disse "moderno", quando falei do "Pinóquio"?
Queria era dizer: "Tão "INDEPENDENTE"! Isso é que eu queria, realmente, dizer!..."
Agora por que razão queria dizer exactamente isso, não sei!...
Adivinham!
Pois...

Bugz disse...

Realmente vir a este blog sagrado fazer "ataques" a quem governa é um pouco, digamos, triste.

Bem, quanto ao post, não me enganaram nessa do Don Aldrabone.

Saudações Benfiquistas

Carlos Machado Acabado disse...

Sem pretender entrar em polémicas absurdas, eu (que vivi durante longo tempo, um... tempo em que estávamos todos privados dela e sabíamos bem o que isso significava e o que isso... custava!)francamente acho que a Liberdade é isso mesmo: poder criticar (também) quem governa.
Não: criticar por criticar mas criticar a partir do modo COMO quem governa... governa...
Às vezes (ou SEMPRE?) é porque quem governa... governa de "um certo" modo objectivamente criticável (por vezes, aliás, clamorosamente questionável!) que aquilo que esse alguém governa apresenta aspectos de que não gostamos e criticamos como, porém, se tais aspectos tivessem nascido por fatalidade rácica, geração espontânea ou por obra e graça do Divino Espírito Santo...
Quando se critica, com efeito, o compadrio, o registo mafioso, o "vizirismo" descarado, a chico-espertice, o oportunismo, o encobrimento sistemático dos escândalos e o branqueamento indecoroso e regular de toda a espécie de poucas vergonhas, quando, numa palavra, criticamos (falando, agora, especificamente de futebol) o que se faz em Portugal; quando, por outro lado, lamentamos a "apagada e vil tristeza" em que o Desporto (e, designadamente, o futebol) entre nós vegetam, é importante que percebamos que há coisas que não se podem de todo dissociar, que estão indissociavelmente ligadas entre si e que enquanto não aprendermos a encarar a realidade de frente e a deixar de ter medo de algumas "vacas sagradas" (que de "sagradas", aliás, nada têm e que não podem, em qualquer caso) estar acima de crítica e/ou mesmo, quando for caso disso, de suspeita, não me parece infelizmente previsível que as coisas mudem.
Os males têm causas objectivas: é a procurá-las e a fazer-lhes corajosamente frente, doa a quem doer (e não fugindo às questões) que estas podem ser identificadas e que os problemas podem FINALMENTE aspirar a ter solução.
Para terminar: a minha crítica tenta NUNCA ser gratuita, arbitrária e/ou desligada dos factos mesmo quando a ligação entre estes e essa crítica pode, à primeira vista escapar a alguns de nós.
Se o é ou não, não sei; agora, que TENTA (sempre com frontalidade e perfeitamente identificada!) não o ser, ah! Isso, meus caros, santa paciência, é ponto de honra...
Um abraço a todos!